“Qual a boa metáfora para descrevê-la: uma pluma? Uma flor delicada que, por milagre, anda? Um cristal frágil? Sua voz faz-se carícia tímida. Para onde foi a desbocada, de tom enérgico, manejando palavrões que abalaram bem-educados e bem pensantes?(...)" Hilda Hilst

27 de julho de 2012

Liberdade para o meu coração

Não vale tanto quanto você pensou colocar sua vida nas mãos de qualquer luta. Nós estamos fazendo a nossa última posição e eu não preciso de ninguém pra me resgatar Você mudou sua mente, mas eu nunca mudei a minha. Eu hipnotizava todos os demônios e você faz com todos eles voltem. Preciso de alguém pra curar meu orgulho não meus demônios. Preciso de alguém que venha me acordar e me sacodir na hora do juízo final, não serei salva pelo fogo. Eu devo ter te tratado errado. E agora você está me tratando errado de volta, não temos armas e enquanto nós pagarmos por erros sem nenhum significado os pensamentos se tornarão coisas. Começamos com este nascimento ha pouco. Espere-me.

Um comentário: